HISTÓRIA DA SAC


A FOTO QUE DEIXOU SAUDADE...


HISTÓRIA DA SAC
Dr. Waldo Pessoa, Dr. Hélio Góes Ferreira ( Fundador da SAC ),
Gen. Torres de Melo, Dr. Waldemar de Alcântara, Sra. Dorina Nowill

S A C, uma história que Só o Amor Constrói

HISTÓRIA DA SAC A história da Sociedade de Assistência aos Cegos - SAC, é feita de inúmeros atos de amor, coragem e acima de tudo, da crença de que todos os seres foram criados por Deus, não importando sua cor, raça, credo ou limitações.

Fundada em 1942, vivia o mundo sob os auspícios da 2ª Grande Guerra Mundial, época em que a marca qualitativa da valorização do homem dava-se em razão de determinados requisitos estéticos hereditários e não em razão de seus valores morais.

Foi exatamente nesse conturbado período da humanidade que o médico oftalmologista Dr. Hélio Góes Ferreira, Padre Arquimedes Bruno e Desembargador Eugênio Avelar Rocha, iniciaram nesta entidade esse sublime trabalho em favor do ser humano, visando liberta-lo de sua obscuridade e limitações, dedicando assim, grande parte de sua existência em prol dessa causa que foi seu ideal de vida. Quando partiu em 1976, deixou implantada nas consciências de seus seguidores esse mesmo ideal que os levou também a investirem suas existências no sentido de vencer os desafios que lhes foram impostos e de provar que o HOMEM enquanto SER, é capaz de transpor qualquer obstáculo.

Há de ressaltar o notável trabalho do ROTARY que sempre ajudou a Sociedade desde a sua criação até a inauguração do Bloco Cirúrgico Casa da Amizade. Referido Centro foi construído com a renda da Festa das Nações de 1966 idealizada pela 10ª Região Militar e Casa da Amizade.

Portanto, no dia 02 de Agosto de 1942, foi instalada a Assembléia Geral de Fundação da Sociedade de Assistência aos Cegos, no Clube Iracema, situado à Rua Coronel Bezerril, 751 - 2º andar em Fortaleza-CE.

Foto do Clube Iracema
Foto do Clube Iracema

A 1ª Diretoria foi assim constituida:
CONSELHO DELIBERATIVO COM MANDATO DE SEIS ANOS.
- D. Yanie Fontenelle Porto
- Dr. José Leite Maranhão
- Pe. Arquimedes Bruno
- Beatriz de Araújo Ferreira
- Dr. Abner Amaral
- D. Regina Bulhão Ramos
- D. Maria José Moreira da Rocha
- Sr. José Oriano Menescal Netto

CONSELHO DELIBERATIVO COM MANDATOS DE QUATRO ANOS
- Dr. Eugênio Avelar Cavalcante da Rocha
- Dr. Hélio Góes Ferreira
- Dr. João Mendes Filho
- Dr. Fernando Leite
- Dr. Antonio Barros dos Santos
- D. Edite da Costa Braga
- D. Hélia Ellery Barroso

CONSELHO DELIBERATIVO COM MANDATOS DE DOIS ANOS
- D. Maria José Menescal de Góes Ferreira
- Dr. Sylvio Ildeburgue Leal
- D. Luzita Albano
- D. Lúcia Rocha
- Sr. Alfeu Aboim
- Sr. João Batista Saraiva Leão
- Sr. Joaniuba Amaral

DIRETORIA EXECUTIVA
Presidente - Padre Arquimedes Bruno
Vice Presidente - D. Edite da Costa Braga
Secretária - D. Hélia Elery Barroso
Tesoureira - D. Elezira Elery
Diretor Geral- Dr. Hélio Góes Ferreira

De 1942 a 2009, foram eleitos 11 Presidentes na Sociedade de Assistência aos Cegos que juntamente com os demais Diretores, tiveram em suas respectivas épocas, sob o peso de muito trabalho e até mesmo de sacrifícios pessoais, decisiva participação não só na implantação como também no aprimoramento das metas estatutárias desta entidade. São eles:


Galeria dos Presidentes da
Sociedade de Assistência aos Cegos - SAC

Galeria dos Presidentes
1º Presidente
Padre Arquimedes Bruno
1942 / 1946

Galeria dos Presidentes
2º Presidente
Dr. João Mattos
1946 / 1952

Galeria dos Presidentes
3º Presidente
Professor Raimundo Gomes
1952 / 1961

Galeria dos Presidentes
4º Presidente
Dr. Waldemar de Alcântara
1961 / 1964

Galeria dos Presidentes
5º Presidente
Desembargador Eugênio Avelar Rocha
1964 / 1968

Dr. Hélio Góes Ferreira
6º Presidente
Dr. Hélio Góes Ferreira
1968 / 1976

Galeria dos Presidentes
7º Presidente
Coronel José Bezerra de Arruda
1976 / 1980

Galeria dos Presidentes
8º Presidente
Dr. Francisco Waldo Pessoa de Almeida
1980 / 1996

Galeria dos Presidentes
9º Presidente
Sra. Maria Josélia Sá e Almeida
1996 / 2003

Galeria dos Presidentes
10º Presidente
Dr. Francisco Waldo Pessoa de Almeida
2003 / 2006

Galeria dos Presidentes
11º Presidente
Sra. Maria Josélia Sá e Almeida
2006 / 2015

 

A tenacidade dessas Diretorias em promover o cumprimento das metas estatutárias da SAC, fez com que cada uma delas usando os recursos existentes em seus respectivos períodos, conseguissem com muita dedicação : criar, implantar, promover a independência financeira e modernizar esta entidade através de uma atuação competente nas áreas EDUCAÇÃO e SAÚDE, a ponto torná-la ao longo do tempo, um modelo moderno de entidade filantrópica.

NA ÁREA DE EDUCAÇÃO a SAC é mantenedora dos seguintes setores:

Instituto Hélio Góes: fundado em 1943 sob o nome Instituto de Cegos do Ceará, é a escola pioneira em todo estado para a educação de deficientes visuais. Após o falecimento do Dr. Hélio Góes Ferreira em 1976, recebeu por sugestão do Dr. Waldo Pessoa o nome que hoje detém, numa justa homenagem do fundador desta entidade. Empregando o método Braille para portadores de cegueira total, e usando caracteres aumentados para portadores de visão subnormal, recebem em ambos os casos a orientação de uma equipe interdisciplinar, composta de Psicóloga, Fonaudióloga, Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional, Odontologia, Pediatra, Oftalmologista, Técnico em Orientação e Mobilidade, Serviço Social, Professor de Educação Física, Hidroginástica e Hidroterapia. Todo seu corpo docente é especializado em Deficiência Visual. Atendimento filantrópico.

Especialização de Docentes na Área de Deficiência Visual: criado em 1996, esse setor promove, sem nenhum ônus para o governo, a especialização de professores na área de DV, preenchendo uma lacuna existente na educação especial no estado do Ceará. A SAC, é a única entidade não governamental, reconhecida pelo Conselho de Educação do Ceará, para promover essa especialização. Incluído na grade curricular desse curso, o estudo no Sistema DOSVOX , interface sonoro que propicia a pessoa cega o uso do computador, inclusive com programas para alfabetização. 

Biblioteca Braille Josélia Almeida: criada nos anos 70, recebeu em 1994 o nome que hoje detém, em homenagem a essa Diretora, por seu empenho ao crescimento e modernização dessa biblioteca que continua a ser a única biblioteca Braille existente no Ceará. Aberta a todos os deficientes visuais, sem exceção, promove através da sala de leitura, atividades como: oficinas de textos, narrações de histórias, vídeos, iniciativa à leitura em braille, além de orientar a pesquisa escolar. Atendimento filantrópico.

Imprensa Braille Rosa Baquit: instalada em 1993, essa Imprensa de procedência norueguesa, foi adquirida com recursos próprios da SAC. Recebe o nome da genitora do Sr. Alberto Baquit, membro do Conselho da SAC, por haver sido o mesmo , o grande incentivador da implantação desse setor. Sua finalidade prioritária é suprir a carência de livros didáticos e curriculares em Braille. Atende a todos os deficientes visuais indistintamente no que diz respeito a transcrever livros de línguas estrangeiras, bem como na elaboração de apostilas dos diversos cursos ofertados pela SAC. Recentemente esta imprensa deu mais um passo em prol da cidadania dos deficientes visuais: propicia aos mesmos a leitura diária de jornais locais impresso em Braille. É bom lembrar que o homem já foi à lua, o mundo está entrando para o terceiro milênio e só agora os deficientes visuais do Ceará (ou do Brasil?) puderam ter acesso a leitura diária de um jornal em Braille. Essa atividade tão corriqueira para as pessoas ditas normais, só agora está ao alcance dos deficientes visuais, graças ao advento da Internet ligada à Imprensa Braille e essa, ligada à vontade de fazer da diretoria da SAC. O que parecia impossível, tornou-se realidade. Atendimento filantrópico.

Setor de Profissionalização: realiza cursos que visam promover o desenvolvimento profissional da pessoa cega e/ou portadores de visão subnormal. O grande volume de cursos ofertado, tais como: Operador de Câmara Escura / Fabricação de Bengalas / Fabricação de Vassouras / Empacotamento / Bijuteria / Empalhamento / Tapeçaria / Datilografia em Braille / Datilografia em Negro / Audio Locução / Telefonia / Telemarketing / DOSVOX e Inglês para Informante Turístico. Em 1996 foi criado o 1º Núcleo de Expansão da SAC, local onde hoje são ministrados a maioria desses cursos. Apenas alguns, deles ainda continuam a serem ministrados na sede desta Entidade. Atendimento filantrópico.

NA ÁREA DE SAÚDE, a SAC é mantenedora dos seguintes setores:

Hospital Alberto Baquit Junior - criado em 1966 pelo Rotary Clube, recebeu inicialmente o nome de Centro Cirúrgico Casa da Amizade. Em 1980 foi totalmente reformado e equipado sob os auspícios do Sr. Alberto Baquit, recebendo o nome que hoje detém numa homenagem póstuma a seu filho primogênito. Esse hospital é responsável por todos os eventos cirúrgicos oftalmológicos de pequeno, médio e grande porte, inclusive transplante de córnea, cirurgias a laser e exames especiais sob sedação. Sua clientela é oriunda de convênios, particular e SUS (Sistema Único de Saúde). Mantém atendimento filantrópico a crianças de 0 a 12 anos oriundas da Unidade de Prevenção à Cegueira Cel. José Bezerra de Arruda, desta entidade.

Unidade de Prevenção à Cegueira Cel . José Bezerra de Arruda - a prevenção à cegueira, foi a primeira atividade da SAC, atendimento a portadores de deficiência visual para posteriormente encaminhá-los ao Instituto Hélio Góes que como já dissemos, foi a primeira escola especializada para o deficiente visual no Ceará. Esse setor recebeu outros nomes ao longo do tempo. Foi durante muitos anos "ambulatório para prevenção à cegueira", depois passou a ser "Preventório Cláudio Martins", até que em 1968, com o advento do hospital, essa atividade ficou sendo ali realizada. A partir daí esta entidade, passou a realizar também programas de prevenção à cegueira nas escolas tanto da rede pública como particulares. Essas ações que permanecem até hoje, são promovidas por médicos e professores da SAC e já beneficiaram um número incontável de crianças tanto de Fortaleza como do interior do estado. Em 1994, esse setor recebeu o nome do Cel. José Bezerra de Arruda ex-presidente desta entidade, numa homenagem póstuma. Atendendo a crianças de 0 a 12 anos, este setor promove atendimento a portadores de visão subnormal através dos setores de Estimulação Visual e Estimulação Precoce, além de encaminhar grande parte dessa clientela para a escola desta entidade. Atendimento filantrópico.

Banco de Olhos do Ceará - fundado em 1976, pelo oftalmologista Dr. Francisco Waldo Pessoa de Almeida, recebeu inicialmente o nome de Banco de Olhos Dr. Hélio Góes Ferreira, passando pouco tempo depois a receber o nome que até hoje ostenta. Foi o primeiro banco de olhos a ser fundado no Ceará. Instalado na sede da SAC, esse banco promove mensalmente missa em sufrágio da alma dos doadores de cada mês. Atendimento filantrópico

Unidade Oftalmológica Iêda Otoch Baquit - criada em 1985, recebeu numa homenagem póstuma o nome dessa Diretora, que durante algum tempo, ficou a frente da Tesouraria desta entidade. Modernamente equipada, esse setor atende aos portadores de patologias oftalmológicas diversas, através de consultas, exames especiais e de procedimentos a laser, tais como: Fotocoagulação à laser / Iridectomia à laser / Capsulectomia a Laser / Retinografia Fluorescente / Fototrabeleculoplastia / Mapeamento de Retina Topografia / Microscopia Especular / Ecografia / Campo Visual Computadorizado / Biometria Ultra-sônica e Criopexia. Contando com cinco consultórios, seu corpo clínico é formado de vinte e cinco oftalmologistas. Atende a clientela proveniente de vários convênios, SUS e particular. Mantém atendimento filantrópico a todos os deficientes visuais assistidos pela SAC, bem como aos oriundos das Campanhas de Prevenção à Cegueira.

Lendo os primeiros estatutos da SAC, bem como acompanhando as reformas a que os mesmos foram submetidos em função de sua adequação ao longo do tempo, vemos com clareza que a pretensão maior do trabalho desta entidade, está implícita no propósito não só de delinear, como também de promover os meios de provar a grande diferença existente entre deficiência e invalidez, as quais antes da existência da SAC, eram consideradas em todo estado do Ceará como sinônimas, não só pelas autoridades governamentais, como também pela sociedade em geral e até mesmo pelos próprios familiares de cegos.

Nitidamente, com a leitura das atas do Conselho Deliberativo e da Diretoria Executiva, vamos acompanhando a formação de uma nova mentalidade, não somente no espírito do deficiente visual que vai passando a acreditar em suas próprias potencialidades, mas também nas famílias dos mesmos e na sociedade como um todo. Aos poucos vai sendo provado que essas potencialidades, se desenvolvidas adequadamente, irão proporcionar aos mesmos as condição de conduzirem suas próprias vidas, sem dependerem da piedade alheia.

Tivemos a imensa felicidade de ter confirmada ao vivo toda essa trajetória da SAC que vai da sua implantação, aos primeiros quatro anos de funcionamento com imensa riqueza de detalhes, pelo seu 1º Presidente, Padre Arquimedes Bruno (1942/1946), em visita a esta casa, em outubro/1997. Morando na França desde os anos sessenta, Padre Arquimedes ficou visivelmente emocionado ao rever esta entidade e definiu a SAC, como uma obra "fruto de uma série de corações sensíveis às necessidades do próximo e de vontades decididas em provar o valor do homem diminuído numa parte do seu esforço, mas íntegro na capacidade do seu espírito."

Portanto, não é atoa que dizemos:
SAC, uma história que Só o Amor Constrói ...


Volta

Maiores informações:

envie Mail para Webmaster da SAC